quarta-feira, 28 de março de 2012

Liberte-se


Despediu-se do que viveu sozinha. Pela primeira vez, seguiu sem que nada lhe fizesse falta. Nem faltasse. Era engolir a seco e seguir. Seguiu. Não existe olhar para trás. Não existe volta. Nem vontade de explicações. O que não foi dito, que fique no não dito. E o que foi dito demais, que transborde em outras águas bem longe daqui. Vá! Já é chegada a hora! Gratidão com gratidão! ADEUS, ADEUS!



 ils sont libres

terça-feira, 20 de março de 2012