quarta-feira, 8 de junho de 2011

os afetos

Um silêncio por dentro.

Uma coisa magnética, apenas sensação.

Um talento para coisas avulsas.

Algumas marcas invisíveis que doem quando chove.

Para o bem, ou para o mal, a gente sabe o que procura.

Sinto muita, muita saudade.


Alguns fios perdidos que sempre acho,

e a mim, sempre.


'brincando de SER e ESTAR',

Posso ser perto de tudo o que quero.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

"não se pode ter paz evitando a vida."




Mesmo quando as vidas aparentam se afastar, o sentimento da gente pode ignorar a palavra despedida, tantas vezes apenas um faz-de-conta, tentativa de ida que, apesar de anunciar, não sabe mais como ir embora.


Quando o encontro é bom e tem lume não tem porta de saída: é pra sempre, de um jeito ou de outros, no coração.


Ana Jácomo