segunda-feira, 4 de outubro de 2010

E eis que a mão que eu segurava me abandonou.
Não, não. Eu é que larguei a mão porque agora
tenho que ir sozinha.

C.L

2 comentários:

Nath disse...

Aninha e suas pedras
(Outubro, 1981)

Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces.
Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha um poema.
E viverás no coração dos jovens e na memória das gerações que hão de vir.

Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas e não entraves seu uso aos que têm sede.

Cora Coralina

Gabi disse...

Juju, esse trecho da Clarice parece que foi feito pra mim!Que emoção!!