segunda-feira, 4 de outubro de 2010

E eis que a mão que eu segurava me abandonou.
Não, não. Eu é que larguei a mão porque agora
tenho que ir sozinha.

C.L